Meu filho não quer colocar roupa: o que fazer? Entenda!

Meu filho não quer colocar roupa: o que fazer? Entenda!

Os pequenos se recusaram a vestir as roupas, o que fazer agora? Bem, a mãe (ou pai) que nunca passou por essa situação, que vista a primeira camisa, afinal de contas, a recusa pelo vestuário é uma situação mais frequente do que as famílias podem imaginar.

Hoje, nós da Armário Infantil preparamos um conteúdo completo para acalmar os marinheiros de primeira viagem, auxiliando a enfrentar essa fase cheia de mitos e verdades, e acredite, o processo pode ser muito divertido.

Venha com a gente entender o que fazer nesses momentos!

“A minha filha não quer colocar roupa”

Imagem de uma bebê chorando enquanto a mãe tenta vesti-la

Antes de tudo, nós da Armário Infantil já queremos acalmar papais e mamães que enfrentam a fase em que os filhos recusam as roupas. Como adiantamos, dos 18 meses aos 3 anos as crianças passam por mudanças importantes.

E vamos nos colocar no lugar dos pequenos, aos 2 anos, chegamos a aprender 200 novas palavras, damos os primeiros passos, as corridas, assim como um mundo todo de novidades que batem na porta. Parece um grande desafio, não é mesmo?

Pois bem, as roupas também fazem parte das novas texturas, cores, odores e sensações que as crianças descobrem. Um belo exemplo disso é quando os nossos seguidores relatam o carinho pelo pijama infantil, por parte das crianças. O que é compreensível, graças à textura super macia das peças.

Mas afinal de contas, o que regula o afeto ou a recusa ao vestuário? Confira logo abaixo!

Por que as crianças tiram o vestuário?

Imagem de um berço com roupas infantis penduradas

Boa parte dos papais e mamães de primeira viagem relatam temer a “adolescência dos 2 anos”. A maioria relata que os filhos eram tranquilos, mas que nesta fase, começam a apresentar comportamentos desafiadores.

Nós, aqui da Armário Infantil, oferecemos um abraço quentinho, mas vamos além, divulgando a explicação da BBC Brasil. Segundo estudos do Departamento de Psicologia da Universidade da Califórnia, a fase dos dois anos é natural e faz parte do processo de autorregulação que os bebês vivem. Portanto, ao presenciar birras ou recusa às roupas, ofereça a máxima compreensão.

De toda forma, uma bela alternativa para driblar esses casos, é tornar a escolha do vestuário divertida, incluindo roupas coloridas, conjuntinhos masculinos ou femininos cheios de personalidade, do jeitinho que as crianças amam vestir.

Seu filho recusa as roupas que você escolhe? Veja como lidar!

Imagem de um adulto colocando blusa em uma criança

“Meu filho recusa as roupas que eu escolho”, eis uma das falas mais frequentes das famílias que procuram ajuda para lidar com a recusa aos vestuários. É fundamental buscar a opinião e acompanhamento de um profissional da infância, até mesmo para papais e mamães descansarem mais tranquilos. Mas acredite, o comportamento faz parte dos desafios dos pequenos.

Agora, está nas mãos das famílias agir com naturalidade, compreensão, paciência e muita diversão, como em tudo relacionado às crianças. É importante, ainda, colocar-se no lugar deles, imaginando como agiria com dentinhos crescendo, centenas de palavras novas, novos comportamentos sendo exigidos o tempo todo e adultos ao redor. Parece desafiador, não é mesmo? Os pequenos também enfrentam essas sensações.

Veja nossas dicas de como enfrentar essa situação de forma saudável:

1. O lúdico e divertido no vestuário

Destacar o lado divertido do vestuário pode ser o reforço positivo que faltava. Caso a sua filha não queira colocar roupa, chame-a para fazer parte da escolha, e adquira vestidos, calças, meias e outras peças infantis lúdicas, bem como confortáveis.

2. Muita calma nessa hora

Não é simples, mas manter a calma nos momentos mais desafiadores faz parte do dia a dia dos pais e mães. Portanto, ao enfrentar a fase dos dois anos, tenha em mente que respirar fundo é um convite para o aprendizado de todos. Aproveite esta oportunidade!

3. Limites necessários

Ser compreensivo não é deixar de estabelecer limites com as crianças. Muitos especialistas reforçam a importância do diálogo, assim como das regras para a autorregulação infantil. Aprenda a dizer “não” para os pequenos de maneira saudável.

4. A chance da escolha

Muitas famílias não percebem o erro escondido entre as atitudes impositivas. Nós da Armário Infantil, reforçamos a importância de convidar as crianças para a escolha das roupas, fortalecendo assim, a autoconfiança e o apoio familiar nas decisões dos pequenos.

5. Brincadeiras são bem-vindas

Ambientes lúdicos e recheados de brincadeiras estimulam os pequenos a vestir e aprender em ótimo clima. Estudos em desenvolvimento infantil comprovam: as crianças aprendem enquanto brincam. Permita-se também entrar no jogo com eles!

Destacamos ainda, os pontos positivos das conversas nessa e em outras fases, oferecendo o ambiente saudável que os seus filhos merecem. Afinal de contas, todos nós amamos estar em família e… nos sentir bem!

Gostou de conhecer mais sobre o assunto? Nós aqui da Armário Infantil preparamos conteúdos completos aqui no blog, compartilhe com papais e mamães em busca de informações e nos acompanhe também nas redes sociais.

Um grande abraço e até a próxima!

Share on facebook
Facebook
Share on twitter
Twitter
Share on linkedin
LinkedIn

Deixe um comentário